quarta-feira, 29 de abril de 2009

Indiferença.

Quem sabe ela finalmente tenha achado a razão para o seu comportamento frio e grosseiro. Um medo de se machucar como se estivesse caindo de um penhasco. Medo das feridas que podem ser abertas, que sem dúvida se forem vão sicatrizar, mas jamais serão curadas, jamais. Ela apenas tenta evitar esse sofrimento. O que ela também não quer na verdade é acreditar nas mentiras, isso ajudaria a abrir mais ainda uma ferida, uma que não seria aberta se ela não acreditasse. Então, como ela pode fazer para não ter o odio dele mas fugir desses medos ao mesmo tempo?

1 Comentários:

Anonymous Anna =D disse...

Profundo *o*

4 de junho de 2009 20:17  

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial